Curta e fique por dentro!

[Resenha] Marketing & Amor.


Autor (a): Rebecca Romero
Editora: Amazon
Ano: 2016
ISBNB01N2N09W4

Sinopse: Margot O’Hara é uma das empreendedoras mais bem-sucedidas do país e tem sua vida inteiramente como ela sonhou. Vendo mais uma oportunidade, ela aceita a proposta que a família Renard lhe apresenta: uma parceria para que ela ajude a salvar uma agência de relacionamentos que está propensa a falir. Elijah Renard, por outro lado, está infeliz com seu trabalho. Mas quando passa a conhecer Margot, ele começa a sentir uma chance de reatar seu interesse nos negócios da família. Seguindo esse caminho de marketing e empreendedorismo, Margot e Elijah iniciam um vínculo que vai além do digital.

"Não deve haver nada pior do que não sentir nada por algo que realmente gostamos."

Elijah Renard não estava contente com seu trabalho, na verdade era algo mais profundo que isso. Por isso, não recebeu muito bem a ideia de seu pai em comprar um site de relacionamentos (tipo Badoo). Harrison, pai de Elijah, insistiu na ideia e conseguiu ir em frente com o projeto. Ele tomou conhecimento sobre marketing digital e acredita que será bom para o novo negócio, e é assim que ele conhece Margot O'Hara.

Margot é muito bem sucedida nesta área, foi uma das primeiras a investir nisso e hoje tem um amplo portfólio, conseguiu se tornar rica com este negócio. Ela dá palestras e auxilia pessoas a conquistarem, através do marketing digital, sucesso. Seu trabalhão agora é fazer o aplicativo, que recebeu o nome de Comigo, obter sucesso.

A família Renard recebe Margot muito bem, todos estão encantados com seu potencial. Mas, Margot não enxerga Elijah com bons olhos, ela tem uma ideia formada sobre ele, e terá que trabalhar diretamente com Elijah. Será que essa convivência a fará mudar de ideia?

Elijah tem seus próprios demônios a enfrentar e este novo trabalho, está fazendo com que ele questione toda a sua vida e aqueles que o cercam. Será que ele conseguirá lidar com seu passado e aproveitar o presente?

"Depressão. É uma palavra tão difícil de dizer, não concorda?” ele prossegue. “Acho que é porque vivemos em um mundo em que nossos problemas são diminuídos. As pessoas diminuem eles e quando nós falamos, parece que nós mesmos estamos diminuindo nossos problemas, exatamente porque o mundo diminui eles.”

Já falei aqui no blog que não curto ler sinopses, evito-as sempre que posso, e com esse livro não foi diferente. Eu o conheci através do Instagram, vi comentários positivos sobre a história, no entanto não sabia realmente do que ia se tratar. Surgiu a seleção de parceria com a autora e não pude perder a oportunidade de conhecer essa história.

Margot sempre batalhou muito para ter o que queria, e mesmo tendo muitas dúvidas em relação ao seu trabalho, decidiu encarar o desafio. Margot é apaixonada por New York, cultura pop e dar sua opinião sobre tudo, ela é muito independente e feminista. É bem legal ver sua opinião sobre o movimento, ela fala muito abertamente sobre o asssunro, o que me deixou tentanda a buscar mais informações sobre isso.
Elijah tem a vida dos sonhos. É rico, bonito, jovem e bem sucedido em sua área de trabalho, mas sofre de depressão e isso coloca muitas dúvidas e pressões sobre seus ombros. Ele enfrentava tudo calado com medo de ser julgado, e ao ter o apoio dos pais, ele percebe que ninguém consegue ser forte o tempo todo. Elijah é meigo, respeitador, muito família. Enfim um sonho de homem.

O que mais me agradou foi a construção do romance. Óbvio! que teve aquela tensão desde o começo entre os protagonistas, porém não passa de um flerte divertido. A autora quis passar uma imagem mais verdadeira do relacionamento (acredito eu), nada daquelas paixões mega ardentes que em apenas dois dias já estão cogitando casamento. Não, aqui tudo vai sendo construído diariamente com a convivência, passa pela fase da amizade até chegar ao amor. Eu gostei muito dessa coisa "tudo no seu tempo".

Rebecca fala muito em cultura pop, ela dá várias dicas de filmes, seriados, músicas e até livros no decorrer da história, e eu achei isso muito maneiro e anotei várias dicas, espero ver/ler/assistir/ouvir (e gostar) de tudo que foi indicado. 

Tive apenas uma ressalva em relação ao livro. A história se passa em New York e a autora arrasou nas descrições dos lugares, porém ela colocou muitas expressões em inglês, entendo que em inglês tudo fica mais bonito de se ler e falar e até achei que foi uma sacada bacana, mas que pecou pelo excesso e sei que isso pode incomodar aqueles que não leem/falam em inglês. Eu mesma entendi todas as expressões e achei um pouco cansativo, imagine quem não.

Apesar disso, é um livro maravilhoso, que recomendo de olhos fechados pra quem curte romances, livros com uma pegada mais erótica, porém sem ser vulgar e para quem gosta de personagens feministas e mocinhos que não só apoiam a causam, como demonstram isso com suas ações. A escrita da autora é impecável, ela escreveu com tanta propriedade sobre os assuntos abordados. Os cenários de algumas cenas me deram (ainda mais) vontade de conhecer NY de cabo a rabo. Enfim, uma leitura muito delícia de se fazer. 


Beijos e até o próximo post!

11 comentários:

  1. Eu não conhecia o livro mas achei a premissa bem interessante. Só fiquei receosa com o excesso de expressões em inglês, eu não conheço quase nada do idioma e sempre que leio livros assim eu fico meio perdida e isso me irrita pra caramba.

    ResponderExcluir
  2. Eu realmente não conhecia esse livro Thay, o que me desanimada é esse lance do inglês, porque eu não sei nada mesmo menina, achei a capa bem lindinha mesmo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? O livro tem vários elementos que adoro ler em um romance. Essa questão da autora tentar trazer um romance mais real, amei demais, e me deixou com mais expectativas ainda <3 Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olha, que dica legal em vários sentidos! Tem romance, tem amor construído passo a passo, tem discussão sobre temas atuais. Gostei mesmo! Vou procurar! Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  5. OOi!
    Confesso que a maioria dos livros que leio tem esse romance ardente, porém, não me importo. Na verdade, amo. Não ligo que não seja algo real, a menos que seja algo superficial. Ai não dá mesmo! hahah
    Ainda assim, foi bem o fato de o livro trazer um romance "real" chamou minha atenção. Fiquei bem curiosa.
    Não o conhecia mas gostei bastante da premissa do livro. Dica anotada!
    beijoos!

    ResponderExcluir
  6. OIe!
    Eu ainda não li o livro, mas fiquei interessada em er. Gostei da sua opção observação quanto as expressões em ingles, realmente é algo que pode incomodar alguns leitores.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  7. Oi, Thay
    Gosto muito de romances e ainda não conhecia esse.
    Sabe que eu também não gosto muito de muitas citações em inglês em um livro, às vezes pesa, né? Acho que esse livro perderia um ponto por conta disso. Mas que bom que o livro como um todo é bom.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  8. Oi, Thay!
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro. O que mais me conquistou nele, foi a capa e para ser sincera, ignorei legal a sinopse por conta disso. Agora lendo a sua resenha, me dei conta de que mesmo não sendo o meu tipo de leitura preferida, parece uma boa história. Quero ler!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Que livro mais diferente. Não conseguia associar o título à história até ler sua resenha. Agora me sinto muito WOW, que legal.
    É uma pena que a autora tenha pecado pelo excesso de expressões em inglês. Acho que isso me incomodará na leitura.
    Vou super anotar a dica, pois sinto que vou amar.
    beijos ♥

    ResponderExcluir
  10. Oi, Thay.
    Ainda não conhecia esse livro, mas gostei de saber mais sobre a história. Não seu se eu me incomodaria com as expressões em inglês... Só lendo para saber mesmo! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  11. Achei muito legal quando você falou que o relacionamento foi construído aos poucos, passando pela parte da amizade e tal, mas aí duas coisas que você disse depois me desanimaram. Primeiro, as expressões em inglês, eu entenderia mas não acho nada legal quando fazem isso e, segundo e mais importante, a pegada erótica. Vulgar ou não, não curto.

    ResponderExcluir

© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo