Curta e fique por dentro!

[Resenha] O que há de estranho em mim.


Título original: Sisters in Sanity
Autor (a): Gayle Forman
Editora: Arqueiro 
Ano: 2016
ISBN: 9788580414806

Sinopse: Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.

"Só então me dei conta de que devemos valorizar quem se preocupa com a gente. Isso é algo muito especial, que de uma hora para outra pode sumir."

Brit achava que tinha a família perfeita, e de fato tinha. A mãe era amorosa e presente, o pai amava ela e a mãe dela e sempre se certificava de que elas estavam bem e tinham o que precisava. Mas, aí descobriram que a mãe dela sofria de esquizofrenia paranoide e tudo mudou. O pai de Brit não queria interna-la, apesar dos pedidos da avó. Seu pai pediu o divórcio, mudou de profissão e se casou novamente, com aquela que Brit chama de "a monstra", seu relacionamento com o pai nunca mais foi o mesmo.

Brit entrou numa banda como guitarrista, mesmo não sendo das melhores e depois passou a cantar algumas músicas, muitas dessas musicas ela mesma escreveu. Junto com Jed — por quem ela possuía uma paixonite —, Denise e Erik, Brit começa a fazer shows e aos poucos vão ganhando seu espaço. Contudo, por conta dos shows, ela começa a chegar tarde em casa, e se antes seu pai a apoiaria 100%, o mesmo não pode ser dito de agora.

De ultima hora uma viagem ao Grand Canyon é organizada, Brit se recusa a ir, porém seu pai é irredutível, e ela está tão chateada por perder o primeiro grande show da banda, que não percebe o caminho que seu pai tomou até ser tarde demais. Brit é deixada na "escola" Red Rock, e ela acredita que tenha sido ideia da monstra colocá-la ali, saber a verdade pode quebrá-la ainda mais do que o tratamento que recebe na Red Rock.

"É que a gente acha que a loucura e a sanidade ficam em lados opostos de um oceano, mas na verdade não passam de duas ilhas vizinhas."

Quando digo que sou fã da Gayle, eu não estou brincando! A mulher é uma máquina de fazer excelentes dramas. Me surpreeendi muito com este livro, pois além de não ter procurado saber nada sobre o que a história de trataria antes de lê-lo, como a autora fugiu de tudo que já escreveu antes. Eu amei!

O tema a ser discutido aqui, além da maneira de certos pais se relacionarem com seus filhos, é o modo como algumas instituições podem ser abusivas. Senti vontade de chorar em várias partes desse livro. Os castigos eram os piores possíveis, desde ficar na solitária a levantarem muros, era algo bem duro de acompanhar e fiquei chocada ao saber que existem lugares desse tipo por aí.

No começo achei a Brit meio pedante, achava que ela estava fazendo tempestade em copo d'Água. Quando ela foi obrigada a viver na Red Rock, eu pude conhecer a real Brit, aquela menina doce, inteligente e inocente de suas lembranças. Ela passou por coisas bem complicadas na vida e convivia com o medo de ter a mesma doença que a mãe, e isso só se intensificou ao não se render aos ensinamentos da escola.

V é uma personagem complicada, complexa e misteriosa. Numa hora ajudava a Brit, na outra lhe dava uma patada.
Bebe era a mais engraçada das amigas. Ela tinha um jeito muito espontâneo de ser. Ela era um pouco fútil, mas isso se deve a forma como foi criada, mas a acho uma excelente pessoa, além de lhe dizer o que pensa mesmo que seja algo cruel, pois é muito verdadeira.
Martha era a que mais sofria, porque estava acima do peso e vivia com a pressão de emagrecer e ter o "corpo perfeito".
Cassie era a mais apagadinha do grupo na minha opinião. Foi mandada para a Red Rock por ser lésbica e porque todos os outros tratamentos de cura gay não funcionaram.

Cinco garotas completamente diferentes, de lugares diferentes e com apenas uma coisa incomum: a dinâmica deturpada familiar. Juntas aprenderam a se apoiar, a não se abaterem, a conviverem com as diferenças, a se aceitarem, a aceitarem as diferenças dos outros, e nunca, jamais desistirem.

A leitura é bem fluída e o livro é curtinho, porém muito bem desenvolvido e explorado. O ponto alto do livro é a crítica a lugares desse tipo e ao modo como os adultos quando se tornam pais esquecem que já foram adolescentes e como se relacionarem com eles. É uma história incrível sobre superação, força, coragem, amizade, amor, família e esperança. Misturado a uma narrativa mais leve, um assunto mais tenso e personagens marcantes.


Beijos e até o próximo post! 

17 comentários:

  1. Olá,

    Confesso que não acredito em "família perfeita", na verdade eu não acredito muito em perfeição. Mas fiquei muito contente em conhecer a obra, esquizofrenia é um problema que gosto de saber mais sobre ela, já li A Menina Submersa da DarkSide que trata sobre uma personagem que tem sessões esquizofrênica, mas nunca acompanhei livro em que a filha tem uma mãe esquizofrênica, achei a trama bem interessante e vou fazer a leitura o mais rápido possível! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Gosto muito de livros que tratam de temas psiquiátricos, sempre achei muito fascinante, e é justamente essa parte que me chama a atenção nesse livro.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Thay.
    Adorei a resenha. Achei muito bacana o comentário que você fez sobre pais que se esquecem que já foram adolescente!!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  4. Oie! Relacionamentos entre pais e filhos podem render ótimas tramas. Pelo seu texto, percebi o potencial (e já estou sentindo raiva do pai da Brit por achar que a filha virou um "problema" a ser resolvido por uma escola - ninguém merece!). Obrigada pela dica! Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Sou suspeita para falar da escrita dessa Rainha, eu simplesmente leio e amo tudo!
    Eu gosto muuuito desse livro, por conta do ambiente onde ele é narrado, foi algo diferente e a história é bem construída.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu tenho uma relação de amor e ódio com Gayle. Não curti tanto Se eu ficar e me apaixonei por Apenas um dia e Apenas um ano.
    Tenho muita curiosidade com O que há de estranho em mim e pretendo conferir a obra em breve para ver como Gayle desenvolveu esses temas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oii, tudo certo? Gostei da resenha!! Eu li esse livro assim que foi lançado e gostei muuuito da narrativa, das personagens, tudo. É um livro bem envolvente e que faz pensar bastante. Que bom que gostou <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Thay
    Tenho curiosidade em ler esse livro. Assim como você, todos gostaram muito desse livro e disseram que ele foi bem explorado. Eu gosto do tema que é abordado, então leria. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Eu li e amei esse livro! Foi muito bem escrito e fiquei com muita pena da Brit, ela não tinha nada demais, só não era aquilo que a sociedade esperava dela. Mais triste que isso, só mesmo o fato de que a sociedade não aceita aqueles que não são como ela quer que sejam. Realmente é uma excelente leitura.

    ResponderExcluir
  10. Oiii!!

    Eu gosto de ler os livros mais adultos dá Gayle mas ainda não tive oportunidade de ler essa obra.
    Gostei da sua resenha e espero conseguir ler em breve!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Heiii, tudo bem?
    Meu primeiro contato com a Gayle Forman foi justamente o livro "O que há de estranho em mim" e gostei demais.
    Li em um dia de tão facil que foi a escrita e trama me chamou a atenção tb.
    Cheio de criticas a sociedade, gostei demais e quero pegar o autografo dela na Bienal, uhuuu.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Já faz um bom tempo que quero ler a obra mas ainda não consegui.
    A premissa é bem interessante e quero saber mais sobre Brit e tudo o que ela passa nessa nova escola que o pai resolve mandá-la.
    Os quotes que selecionou só me deixaram ainda mais ansiosa.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Eu já li esse livro e gostei bastante dessa história.
    Inclusive, eu já li alguns dos livros da autora, e adoro! A narrativa sempre é ótima, e bem fluida.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Não li nada ainda da autora, mas adoro saber que ela faz um drama como ninguém. Espero mudar isso em breve, e essa premissa é a que sempre me chamou mais atenção de todos que ela já lançou. É um tema mais polêmico talvez (?) Sua resenha me deixou com muita vontade de ler ela, por isso dica anotada.
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá,

    Tenho esse livro no meu Kindle e ainda não li, mas pela suas impressões é uma história que eu apreciaria.

    ResponderExcluir
  16. Hey!

    Já tinha ouvido falar do livro, sua resenha me instigou ainda mais em ler, parece muito bom, vou aproveitar bastante a dica.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  17. Oi!!
    Já li livro dessa autora e me apaixonei.
    Gostei bastante da sua resenha, e vou colocar o livro na listinha, gostei bastante.

    ResponderExcluir

© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo