Curta e fique por dentro!

[Resenha] Quase uma rockstar.


Título original: Sorta Like a Rock Star
Autor (a): Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
ISBN: 9788580576764

Sinopse: Desde que o namorado da mãe as expulsou de casa, Amber Appleton, a mãe e o cachorro moram em um ônibus escolar. Aos dezessete anos e no segundo ano do ensino médio, Amber se autoproclama princesa da esperança e é dona de um otimismo incansável, mas quando uma tragédia faz seu mundo desabar por completo, ela não consegue mais enxergar a vida com os mesmos olhos. Será que no meio de tanta tristeza e sofrimento Amber vai recuperar a fé na vida? Com personagens cativantes e uma protagonista apaixonante, Matthew Quick constrói de forma encantadora um universo de risadas, lealdade e esperança conquistada a duras penas.

"Sei que talvez isso seja estranho, mas a gente tira amor de onde pode, não é?"

Amber Appleton tem dezessete anos e mora com a mãe num ônibus escolar. Ninguém sabe que elas moram lá, pois a mãe dela poderia perder o emprego se soubessem. O pai de Amber a abandonou quando ainda era criança, sua mãe bebe e se envolve com diversos homens. 

Um desses homens se chama Oliver, e elas viveram com ele por um bom tempo. Ele tratava a mãe de Amber de maneira horrível. Assim sua mãe fez com 
que prometesse que nunca deixaria um homem tratá-la igual. 
Oliver as expulsou e foi assim que foram parar no ônibus escolar. 

Na escola, Amber é uma boa aluna, porém nunca se entrosou com os outros alunos. Pensando nisso, uma professora escolheu cinco alunos para irem a outra sala, e foi assim que o grupo Os Cincos surgiu, formado pelo único garoto Negro da escola, um autista, um cadeirante e seu tímido irmão e Amber.

Uma situação muito ruim lhe acontece, e a doce e amável Amber se torna alguém cruel e malvada, mas não por muito tempo. Dois meses depois de entrar em depressão, Amber descobri que seu cão, Bobby Big Boy, está com suspeita de câncer, e isso é o suficiente para tirá-la do fundo do poço e trazer a tona a antiga Amber, só que mais madura e menos ingênua.

"Por que algumas pessoas passam pela vida sem nunca ter que enfrentar uma grande tragédia, enquanto outras têm que viver uma coisa horrível atras da outra?"

Sou fã do Matthew Quick e não faço a mínima questão de esconder isso. O cara é um gênio quando se trata de abordar assuntos polêmicos e delicados em suas obras, ele trata o assunto com tanta seriedade e de uma forma tão realista, porém sutil, que é impossível não sentir nada.

Amber sempre foi uma boa pessoa. Mas, constantemente era vítima de bullying na escola, como se não bastasse sua mãe era um pouco (estou pegando leve) negligente com a filha. Foi abandonada pelo pai, perdeu seu ente mais querido e agora seu cachorro – a única coisa que lhe sobrou – está com câncer, isso tudo mexe com a vida de uma pessoa, e com a Amber foi a depressão que deu as caras.

Esqueçam aquela coisa meio gótica/emo e egoísta que vemos nos livros por aí. A Amber se transformou realmente em outra pessoa, passou a ser cruel com as pessoas que gostavam dela, se isolou, não comia direito e não tomava banho. Quem não está acostumado com a depressão pode achar isso demais, porém a doença pode ser cruel com algumas pessoas.

E, foi justamente isso que curti na leitura, o autor não romantizou o assunto. Ele trouxe um pouco dos vários sintomas que a doença tem e abordou isso de uma forma leve e irreverente. Contudo, real.

Além disso, o autor usou o grupo Os Cincos para falar de questões bem cotidianas no ambiente escolar. O bullying, a falta de ambientes adequados para cadeirantes e autistas. Como o bullying pode ser amenizado, como os professores podem se preparar para receberem alunos com necessidades especiais. Enfim, ele abordou muitas deficiências nas escolas por aí a fora.

Essa não é uma leitura triste, apesar de tudo, é mais uma história para te fazer pensar sobre o modo como nos relacionamos com os outros, o modo como muitas vezes deixamos de fazer algo bom pelo outro, o modo como certas situações podem mexer com nosso psicológico. É uma leitura que te faz refletir. Já disse e repito: adoro os livros do autor, e ao terminar essa leitura senti um quentinho no coração, uma sensação muito boa, algo parecido como amor e esperança, pois mesmo quando achamos que não há saída, sempre há uma luz. Eu indico muito esse livro, não só aos adolescentes, mas aos adultos também, pois é uma leitura que te faz enxergar situações sobre ângulos diferentes.


Beijos e até o próximo post!

11 comentários:

  1. Oie!
    Acredita que não li nenhum livro desse autor?
    Eu até comprei o livro, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Depois da sua rsenha fiquei bem interessada.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  2. Oi, Thay
    Vi poucas resenhas do livro, mas a maioria elogia. Que bom que gostou.
    Eu adoro livros que me façam refletir, ensinam algo. Adorei saber que tem ponto no livro, então acho que ia curtir a leitura também.
    Ótima dica.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Ainda não li o livro, mas parece ser uma história com muitos aprendizados e tenho certeza que é impossível não gostar.
    O autor consegue trazer temas tão delicados e passar para o leitor de uma forma tão leve.
    Dica anotada e pretendo começar logo a leitura.
    Beijos
    Daya

    ResponderExcluir
  4. Ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro desse autor, mas não sei se o tipo de história que ele escreve é muito a minha praia! Tenho evitado esse tipo de livro com temas muito sérios na minhas horas de lazer!
    Mas acho que para quem curte histórias assim, deve ser um prato cheio! Adorei a resenha!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  5. Oi! Estou na turma que nunca leu nada do autor. Ouvi falar dele por causa do filme que foi indicado ao Oscar, mas não me animei em ver e ler. Sua resenha me fez pensar em rever a decisão. Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Conheço o autor por nome, mas nunca li nada dele. Quase Um Rockstar me encantou pela capa e quando fui ler sua resenha, me apaixonei mais ainda. Adorei e dica anotada!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Fiquei bem intrigada com sua resenha para conhecer um pouco mais de Amber e conferir as mudanças pelas quais ela passa no decorrer da trama, além de saber mais sobre o intuito da criação do grupo Os cinco e como essa mistura de personagens irá funcionar.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, apesar de não gostar do gênero, fiquei bem curioso como os temas são tratados durante a narrativa. Afinal Bullying é uma maneira bem fácil de nos passar o que realmente acontece na realidade. A música parece estar presente durante toda a história, e espero ter a chance de ler o livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi Thayenne, sua linda, tudo bem?
    Gostei muito da mensagem dessa história. Primeiro, a professora teve uma percepção muito grande e acabou ajudando todos os que precisavam ao formar esse grupo. Acho admirável quando um autor dá espaço em sua obra, para contribuir com uma crítica social positiva. Muitas escolas e muitos lugares não estão preparados para atender alunos e pessoas com essas deficiências. E achei lindo ele vir no final com a esperança!!! Sua resenha me deixou louca para ler!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Nunca tinha pensado em ler o livro antes, mas sua resenha me conquistou de vez.
    O livro tem tudo que curto. Principalmente essas desestruturas familiares, adolescentes, doença e escola. Gosto de leituras com essa pegada mais triste e fiquei feliz em saber que o autor não romantizou o temaa abordado.
    ótima resenha.

    ResponderExcluir
  11. Oie!
    Nossa acho que nao tive a oportunidade ate hoje de ler a resenha desse livro, essa é a primeira e serviu tipo como uma luz, porque eu imaginava uma historia totalmente diferente!!
    Nao li até hoje nenhum livro do autor, mas gostei tanto do que vc disse sobre ele que isso pode vir a mudar em breve

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir

© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo