Curta e fique por dentro!

Resenha #107: Garotas de Vidro.


Título original: Wintergirls
Autor (a): Laurie Halse Anderson
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
ISBN: 9788581630113

Sinopse: Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer. O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos. Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir. Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles. Garotas de Vidro é uma história intoxicante sobre a autorrepugnância e a busca pela identidade. Neste livro, Laure Halse anderson aborda de modo realista a dolorosa condição de jovens que sofrem de transtornos alimentares e sua complicada relação com o espelho e consigo mesmos.

"Eles nunca me escutam, eles mal conseguem me enxergar. Sou uma boneca e eles estão velhos demais para brincar comigo."

Após desmaiar e bater com o carro, os pais de Lia descobrem sobre seus problemas. Lia é uma dessas garotas que se acham gordas, mas que se esforçam para não ser. Lia não come, como não consegue vomitar, ela simplesmente não come, e quando o faz ela calcula todas as calorias das comidas  consumidas, e da um jeito de perdê-las.

Depois do acidente, seus pais a internam numa clínica pela primeira vez. E Lia agiu como uma atriz digna de Oscar, fez tudo o que os médicos aconselhavam, comia, participava das terapias e atingiu o peso considerado normal. Foi então liberada e voltou a todos os velhos hábitos, mas agora com um empecilho, seus pais estão de olho.
O relacionamento dela com a mãe é péssimo, por isso Lia pediu para morar com o pai e sua nova esposa. Só que ambos são ocupados e não notam (ou não querem notar) o regresso da doença. Até que tudo muda.

Cassie, ex melhor amiga da Lia, foi encontrada morta, num quarto de hotel. E todos estão preocupados sobre como isso pode afetar a Lia. Mas, como uma boa mentirosa, ela afirma a todos que está bem, que não há com o que se preocupar. Só que ela escondeu de todos, que antes de morrer Cassie ligou 33 vezes para o seu celular. E isso está consumindo os pensamentos de Lia, pois ela não atendeu, e agora nunca saberá o que Cassie tinha a dizer.
No meio dessa situação, Lia conhecerá Elijah, a única coisa que sabe sobre ele é onde trabalha, e que dias após a morte de Cassie, ele ligou para sua casa lhe procurando, querendo lhe contar algo.

"Às vezes ser adulta quer dizer fazer a coisa certa, mesmo que não seja aquilo que você quer fazer."

Há muito tempo, eu queria ler esse livro. Ouvi e li diversos comentários sobre esta estória, e posso afirmar que é um livro que divide opiniões, alguns ama, outros não gostam tanto. Mas, o que posso dizer sobre esse livro é, uma leitura muito verdadeira sobre o que uma doença pode fazer com o psicológico de uma pessoa, muitas vezes não era algo legal de se ler, mas era necessário para conhecemos os sintomas e assim preveni-los, já que é um mal que assola a nossa sociedade.

Muitos autores quando escrevem sobre  problemas alimentares, acabam perdendo o foco principal e deixando a coisa toda muito romantizada, e com a Laurie não é assim! Já li outro livro dela, e posso dizer que ela sabe como expor um problema, a escrita dela é envolvente, mas por ser relatos densos sobre a depressão e os problemas alimentares, muitas vezes eu precissei fazer uma pausa, antes de prosseguir com a leitura. É algo duro, brutal, mas muito verdadeiro e que tem muito a nos ensinar.

Por Elijah ter sido inserido a estória, eu esperava por um romance, algo que tiraria a Lia do limbo em que se encontrava. Mas, se tem algo que eu aprendi foi: não deposite toda a sua confiança  em alguém que acabou de conhecer, ele pode te decepcionar. E o Elijah decepcionou, ele se mostrou ser um cara bem legal e disposto a ajudar no começo, mas quando viu a oportunidade de ganhar dinheiro fácil, se agarrou com unhas e dentes, e deixou a Lia sozinha.

A Laurie tem um talento natural para escrever livros tensos, e mais uma vez, eu gostei de como ela criou toda a estória apresentada aqui. Foi algo doloroso, que me fez chorar, mas também me fez ter empatia com o próximo, me ajudou a entender como os problemas alimentares e a depressão são sorrateiros, quando você finalmente se dar conta do que está acontecendo, é  tarde demais. Acredito que esse livro deveria ser leitura obrigatória nas escolas, principalmente para estudantes do ensino médio, que são os mais propensos a essas doenças tão devastadoras. Enfim, uma leitura que me ensinou muito e que gostei muito.

E aí, curiosos? 
Beijos e até o próximo post.

18 comentários:

  1. Oi Thayenne, tudo bem?
    Acredita que eu tinha esse livro, emprestei e tô até agora esperando devolução... e isso faz uns três anos. Enfim, o fato é que nem tive a oportunidade de ler. Que raiva que dá!!! Que bom que você gostou desse leitura. Espero poder ler em algum momento.
    beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Thayenne, esse foi um livro que me deixou devastada, não sei se pela seriedade do assunto ou porque a problemática é mega ignorada na nossa sociedade, mas foi um livro que me fez sentir fome, frio e angustia. A autora foi brilhante e quero ler outros livros dela. Adorei sua resenha e conforme fui lendo, foi me dando saudade de ler o livro novamente. Adorei relembrar esta história, por mais dificil que ela tenha sido!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, quero muito ler esse livro e ele está na minha fila de proximos livros para ler e a sua resenha só me incentivou a adiantar ele na minha lista. Por se tratar de um assunto tão importante e pouco retratado, que fala como um problema como esse mexe com o psicológico de alguem e o faz fazer coisas sem sentido e prejudiciais a propria saude e vida. Acho que é um livro muito reflexivo e que muitos deveriam ler.
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Também queria muito ler esse livro, mas vi tantos comentários negativos que acabei desanimando. Adorei a sua resenha, me deu um outro ponto de vista a respeito dele!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Se eu morrer antes de você", vem conferir!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Há muito tempo quero ler esse livro, pois tenho quase certeza que farei parte do time de ama a história.
    Adorei a sua resenha e a forma como você escreveu. Saber que a autora não romantizou o transtorno alimentar da protagonista, me faz crer, ainda mais, no que existe acima. Acredito que a doença ficou tão enraizada na personagem que ela perdeu a noção do que é certo e assumiu uma vida de mentira perante os outros.
    Sua resenha me deixou, ainda mais, curiosa para ler o livro.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie, adorei sua resenha e esse é um livro que me interessa a bastante tempo, mas sempre fui adiando a leitura. Apesar de você falar que é um livro forte e que você teve que até dar uma pausa na leitura certas horas, eu me interesso mais ainda, porque amo histórias que se tornam tão realistas assim. Esse problema da Lia e da Cassie é algo que ocorre muito atualmente e é bom ver um livro retratando. Quero pra já.

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Essa foi uma das leituras mais tensas que já fiz, pois ficava olhando sem compreender o quanto elas estavam se destruindo. É um livro de impacto, que tira o leitor da zona de conforto, e fica refletindo sobre a memória por dias. É um ótimo livro.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Já tinha visto a capa desse livro, mas nunca tinha lido sobre o que se tratava a trama do livro. E fiquei surpresa!
    Não sabia que a personagem carregava uma carga tão grande, que os pais não davam tanta a atenção que ela merecia. E a morte da amiga? o que ela tinha a dizer? fiquei curiosa. E pelo visto a autora soube abordar tudo com maestria, de nos chocar, mas ao mesmo tempo de nos fazer refletir.

    Esse livro entrou nos meus desejados, sem mais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá, eu sempre ouço falar desse livro e desde tempos atrás eu sinto vontade de ler ele e conhecer mais dessa trama que parece ser tão emocionante. Acho que o livro tem um tema pesado e importante que deveria ser lido por todos mesmo!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  10. Ooi,
    Não conhecia o livro mas a sua resenha me fez precisar ler ele logo! Gostei da temática e tenho certeza que é um livro que nos toca e nos faz pensar. Acho muito importante conhecer doenças como essa de forma mais profunda.
    Vitória Zavattieri

    ResponderExcluir
  11. Por conta de sinopse e capa eu não fiquei curiosa com a história por causa de passar essa sensação de história romantizada, mas na sua resenha me pareceu uma obra bem mais interessante e que trata de temas sérios de forma interessante.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá,

    Eu sempre fico emocionada com histórias que tratam de algum disturbio. Eu tive um pequeno problema de alimentação por causa da depressão, então sei bem de algumas coisas. Ao contrário da protagonista que fingia comer e estar bem, eu realmente não conseguia comer. Mas enfim, esse livro já esteve na minha lista de desejdos, mas eu o tirei porque estava meio bad com a vida. ACho que agora que estou bem, posso lê-lo. Essas histórias são bem intensas e eu espero que a autora não tenha romantizado um problema sério. Parabéns pela resenha. :D

    ResponderExcluir
  13. Oi,
    Olha já tem um bom tempo que eu tenho vontade de fazer essa leitura, sem dúvidas esse é um tema muito sério que merece muito ser debatido e posto em voga na literatura, infelizmente eu ainda não tive a oportunidade de fazer a leitura, mas espero ter o exemplar em mãos em breve pra poder ler e tirar minhas próprias conclusões. Adorei a tua resenha, beijos

    ResponderExcluir
  14. Oie Thayanne , tudo bom ???

    eu já tinha visto essa capa, e até tinha cogitado ler, mas nunca peguei no livro. Eu imaginava uma coisa totalmente diferente (porque eu não leio sinopses), e a capa também me levou a pensar em outro tema. Mas eu ameiii o jeito que você contou, quase te pedi um spoiler, e eu odeio! kkkkk Porque na melhor parte tu parou de contar, quase morri!!!! huhuhu
    Mas já ad do livro !! obrigada!

    ResponderExcluir
  15. Olá!!

    Eu tenho esse livro desde o lançamento e não li ainda. Uma amiga leu e amou, anda mais pq ela passava por uma fase de problemas alimentares. Quero muito ler, com certeza é um livro cheio de coisas a ensinar.

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  16. Olá... essa é a segunda resenha que leio desse livro... e por aqui consegui entender o porque do título e confesso que fiquei bem curiosa... nunca li nada referente a transtorno alimentar e fico preocupada com minha filha... ela leva muito em consideração o padrão de corpo proposto pela sociedade e as vezes é difícil fazê-la comer... e talvez o livro possa me abrir mais os olhos, porque desconfio de uma menor aprendiz lá no meu trabalho enfim... curti demais sua resenha e ela abriu minha mente pra querer ler o livro... Xero!

    ResponderExcluir
  17. Olá! :)

    Ainda bem que encontraste um talento assim na autora... :) É muito bom quando isso acontece!

    Odiei já esse Elijah, que é um traidor de todo o tamanho!! :) Ah! Concordo! Devia ser leitura obrigatória, pois, nessas idades, essas doenças horriveis acontecem mais! Infelizmente!!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  18. Olá

    Já conhecia o livro, mas nunca fui atrás pra saber do que se tratava, agora que vi, achei que fosse um livro de fantasia me enganei, esse é um tema complicado e outro que a sociedade teima em fingir que não existe e que não precisa ser debatido, quando na verdade precisa sim, apesar de ser comum em adolescentes eles não são os únicos que sofrem com isso, que bom que a autora soube conduzir o livro sem romantizar, porque o assunto é muito sério e se ela fizesse de outra forma o resultado final não seria bom, adorei a dica.

    Bjss

    ResponderExcluir

© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo