Curta e fique por dentro!

Resenha #106: Como falar com um viúvo.


Título original: How to talk to a widower
Autor (a): Jonathan Tropper
Editora: Sextante
Ano: 2010
ISBN: 9788599296622

Sinopse: Doug Parker não foi um aluno brilhante, não conseguiu entrar para nenhuma universidade de prestígio e era demitido dos empregos de redator com relativa frequência. Enfim, não levava nada muito a sério até conhecer Hailey, bonita, inteligente e cerca de 10 anos mais velha que ele. Quando os dois se casam, Doug deixa para trás a descompromissada vida de solteiro e se dedica a esse amor, acreditando finalmente ter encontrado seu rumo. Mas, dois anos depois, Hailey morre em um acidente de avião e tudo perde o sentido. Tentando lidar com o luto, Doug passa a escrever uma coluna chamada "Como falar com um viúvo", em que desabafa sua dor, relata a dificuldade de expressar seus sentimentos e se lembra da esposa de maneira sincera e cativante. A coluna se torna um grande sucesso - algo com que ele sempre sonhou - só que, infelizmente, no momento errado. Em meio a seu drama, Doug se vê às voltas com o enteado rebelde e a irmã gêmea que se mudou para sua casa decidida a fazê-lo voltar a se relacionar com outras mulheres. E então nada mais é como antes: sua vida passa a se desenrolar em uma divertida sucessão de encontros desventurados e insólitas confusões familiares. Entre tropeços, atropelos e as mais loucas situações, Doug começa a tocar sua vida, ainda que não saiba muito bem para onde. Afinal, muitas vezes o melhor a fazer é seguir em frente.

"Às vezes a única verdade com que podemos lidar é aquela com que acordamos a cada manhã. E hoje, como acontece em todas as manhãs, acordei com minha dor. Sendo assim, faça-me o favor de não mexer com ela."

Douglas Parker ou Doug, como é mais conhecido, perdeu sua esposa num acidente aéreo e desde então tem se entregado a reclusão.
Doug conheceu Hailey quando a encontrou chorando no seu escritório, Doug já sentia uma atração por ela, mas julgava ser "areia demais para o seu caminhãozinho". Porém, o que se revelou foi, duas pessoas totalmente diferentes, em fases da vida diferente e com uma considerável diferença de idade, que acabam se atraindo e se apaixonando.
Doug mudou todos os seus hábitos ruins, como se embebar nos dias em que tinha trabalho a fazer ou sair por aí pegando qualquer uma. Se tornou o marido, padrasto e funcionário ideal, tudo desde que se apaixonou e foi morar morar com Hailey. Eles tinham uma vida perfeita e de repente o Doug ficou sem nada.

Doug se afastou de todos que o conheciam, se isolou. E isso tem afetado bastante o Russ, seu enteado, com quem antes tinha um relacionamento maravilhoso. Desde a morte da mãe, Russ está sempre metido em confusão. A psicóloga da escola, Brooke, diz que ele quer chamar a atenção do Doug, já que seu pai biológico não está nem aí para o garoto, e a mãe dele está morta.. O único que se importa (ou se importava) era o Doug, que foi como um pai para Russ.

Doug vem de uma família disfuncional e acredito que isso tenha influenciado seu modo de vida. Depois da morte de sua esposa, ele retornou a ter todos os hábitos ruins, chegando a passar dias bêbado. Ele ficou tão deprimido que tentou o suicídio, mas não consegue se lembrar desse fato, por ter estado tão chapado.

Sua irmã gêmea tenta fazê-lo reagir, e por estar passando por problemas no próprio casamento, decidi ir morar com o Doug, e assim tentar ajudá-lo. Eles sempre foram muito unidos, e por serem gêmeos sempre sabem do que o outro precisa.
Mas, o que realmente foi necessário para que ele saísse desse poço, que era a depressão, foi os sábios conselhos que recebeu da Brooke. Tudo o que ela falou, ele já tinha ouvido antes, mas o que mudou foi que ela deixou claro o que sua situação estava fazendo ao Russ, que o via como um herói, como o pai que eke nunca teve. Isso para o Doug foi o necessário para que ele conseguisse retomar as rédeas da sua vida.

"Seja como for, sinto espetadas pontiagudas e ardentes dos cacos de todas as coisas que continuam partidas, flutuando dentro de mim."

Essa foi a melhor leitura de 2016, comecei janeiro muito bem. O livro é uma mistura de drama com comédia, que se intercalavam para que a estória não ficasse chata ou se tornasse monótona.
Foi interessante ver o que a depressão faz a um homem, pois todos os livros que já li sobre o assunto, tinham mulheres como deprimidas.

O Doug me fez rir muito, com seu modo de ver a vida. Às vezes, eu estava lendo algumas cenas e lágrimas me vinham aos olhos, só que logo em seguida o Doug soltava uma de suas frases, que é sua marca registrada em todo o livro, e me fazia dar gargalhadas. Seu relacionamento com o Russ era algo cativante de se ler, pois era notável o carinho que um tinha pelo outro.
Já seu relacionamento com as mulheres eram motivos de piada, o Doug tinha um dom para atrair relacionamentos problemáticos para si, o que deixou o livro ainda mais divertido.

O livro ainda irá ajudar aqueles que estão na fase de negação, após perder alguém que era muito importante, é impossível não se comover quando o Doug relembra tudo o que viveu com a Hailey, e como está sendo difícil se desapegar e seguir em frente.

Em suma, foi um livro que me surpreendeu bastante, pois é pouco conhecido e sua capa não é muito bonita. O livro faz jus a todos os comentários que li sobre. É uma leitura rápida, fluída, emocional e ao mesmo tempo divertida. Recomendo super! E espero que vocês gostem tanto quanto eu. Não vejo a hora de ler outro livro do autor <3

"Você quer seguir em frente, mas para isso precisa deixá-la para trás, e você não quer deixá-la para trás, por isso não segue em frente."

E aí, já leram? Gostaram? Ficaram curiosos? Deixe aqui embaixo seu comentário, adoraria saber. Beijos e até o próximo post.

12 comentários:

  1. Oi Thayenne, tudo bem?
    Então, eu não conhecia esse livro, mas fiquei interessada sim. E que bom que o livro acabou lhe surpreendendo bastante, e é legal saber que possui mensagens de reflexão.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Esse livro havia me chamado a atenção pelo título, mas confesso não ter ido muito atrás pra saber sobre. A sua resenha foi a primeira que eu li sobre o livro e eu gostei muito do que eu encontrei. Eu adoro histórias que fazem os personagens superarem alguma coisa e o Doug, olha eu fazendo a íntima, me parece passar uma coisa muito boa. Adorei mesmo e espero poder ler em breve. :)

    ResponderExcluir
  3. Ooi, adorei muito a premissa do livro, e quero conhecer . Pois nunca li nada parecido de o homem ter uma depressão, quero conferir! Como você mesma disse, ser um livro que dê Boas gargalhadas, e leve. Adoro esse tipo de leitura! E deu muita dó do Doug, espero que o final seja legal.

    Beijos
    www.apaixonadaporleiturass.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Concordo com você em relação à capa do livor, não chama muito a atenção em um primeiro momento, mas curti o drama da perda do Doug e acho que eu iria apreciar a leitura. Essa reclusão que ele se auto impôs e a dor dele, me chamaram a atenção.Quero ler!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Eu ainda não conhecia essa livro e se fosse pela capa, não teria parado para ler. Quanto a trama, achei bem interessante, e com certeza vou gostar de toda essa superação do protagonista. Um livro interessante, e pouco foi divulgado, mas que tem uma ótima trama.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    É tão legal quando um livro nos surpreende.
    Doug parece ser um personagem engraçado e cativante e, apesar de não ter curtido a capa (não achei bonita), acho que, quando eu ler, concordarei com tudo o que você disse em sua resenha.
    Já anotei a dica.
    Muito obrigada!
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Tenho curiosidade com esse livro, a história parece ser boa e com lindas mensagens. Não sei bem como o lado mais engraçado se encaixa nessa leitura, mas certamente eu também riria bastante com ele kkkk porque já tenho ouvido outras pessoas fazendo esse comentário. Espero que quando eu ler, possa gostar também

    ResponderExcluir
  8. Oiee ^^
    Estou com esse livro aqui desde o ano passado, mas não estava muito animada para lê-lo até ver a sua resenha. Saber que foi a melhor leitura de 2016 para você me deixou curiosa, pois eu não imaginava que era um livro tão surpreendente e interessante. Vou ver se o leio logo, e espero gostar tanto quanto você :)
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi
    a primeira vista o livro não é atraente, a capa realmente não é bonita e a sinopse nos leva a crer que é um livro bom apensas, mas tomando como base sua resenha, não consegui não desejar ler essa história, sinceramente, não consigo imaginar a barra que ele teve que passar ao ver sua vida profissional deslanchar graças a um fracasso tao triste na vida pessoal. Gostaria de sim de ler e saber mais a respeito da obra, que parece conter pontos reflexivos importantes, pena que não vejo ele tento nenhum destaque aqui na blogosfera.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  10. Ola THay quando li o título do livro confesso que não me interessei, depois a premissa já me chamou atenção e sua resenha me deixou doida para conhecer esse personagem que expôs seus medos e sentimentos, gostei de saber sobre as cenas engraçadas dando leveza ao livro, muito interessante ver o tema sob uma visão masculina, beijos
    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  11. Olá!! :)

    Ainda bem gostaste tanto e até ficaste "de olho" no autor... Bem, tambem gosto muito de uma leitura fluida... :)

    Acho que o livro traz um tema tocante (e não sei mesmo se iria aguentar não me comover com a história...). Para além disso, é bom quando conseguimos rir com as personagens ou com as suas atitudes! :)

    Também ficou em vista!! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  12. Olá tudo bem?
    Ganhei esse livro há uns dois anos em um sorteio e ele está na minha estante esperando sua vez de ser lido hehehhee.
    Não imaginava que o livro carregava uma carga emocional tão grande, achei a premissa forte daqueles livros que deixa o leitor pensativo.
    Li recentemente um livro que fala de perda, mas ele não me agradou nem emocionou, o que é preocupante, mas parece que em Como falar com um viuvo isso vai ser diferente e espero mesmo que seja.
    Realmente a capa não é bonita e isso acaba deixando nosso interesse pelo livro de lado, mas foi bom ler sua resenha, pois percebi que tenho que olhar além da capa.
    Amei

    ResponderExcluir

© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo