Curta e fique por dentro!

Resenha #57: Dezesseis Luas.



Título original: Beautiful Creatures
Autor (a): Kami Garcia e Margaret Stohl
Editora: Galera Record
Páginas: 485
ISBN: 9788501086914

Sinopse: Ethan é um garoto normal de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos e totalmente atormentado por sonhos, ou melhor, pesadelos com uma garota que ele nunca conheceu. Até que ela aparece... Lena Duchannes é uma adolescente que luta para esconder seus poderes e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mais que um romance entre eles, há um segredo decisivo que pode vir à tona. Eleito pelo Amazon um dos melhores livros de ficção de 2009. Direitos de tradução vendidos para 24 países. Um filme da série está sendo produzido. "Pacote completo: um cenário assustador, uma maldição fatal, reencarnação, feitiços, bruxaria, vudu e personagens que simplesmente prenderão o leitor até o fim..."

"Eu já sabia que ela podia quebrar uma janela com sua mente apenas. Não sabia se eu estava pronto para saber o que mais ela podia quebrar."

Ethan Wate é um menino de 16 anos, que recentemente perdeu a mãe e sente que perdeu o pai junto, já que este último se tranca no escritório e só sai de lá para necessidades. E Ethan só pode contar com a Amma, que desde sempre esteve ao seu lado, ela trabalha há anos para a família Wate.

Há meses Ethan sonha com uma garota, mas em nenhum dos sonhos chegou a visualizar o rosto dela. E os sonhos são tão realísticos, que ao acordar ele sempre está com algo que viu ou estava presente no sonho, como na vez em que acordou encharcado em sua cama, após sonhar que se afogava. E Ethan se pergunta o que se passa com ele, e não sabe com quem compartilhar esses sonhos. Os sonhos começam a se intensificar e junto a isso seu desejo por saber mais e o porquê desses sonhos.

Suas respostas surgem em forma de uma garota, chamada Lena Duchannes, que tem cheiro de limão e alecrim (idênticos aos cheiros que o Ethan sentia nos sonhos) e que, infelizmente, é maltratada por seus colegas de classe por ser sobrinha do velho recluso Ravenwood e por ele ter fama de bruxo.

"Lena sorriu para mim. Naquele segundo, os pedaços da minha vida que estavam se despedaçando voltaram para o lugar. Tudo que estava errado se consertou; talvez não tudo, mas o bastante."

Eu curti os personagens e a premissa da estória, mas demorei demais para ler o livro, passei dias tentando ler mais do que 20 páginas, e simplesmente, não fluía.
As autoras intercalavam entre focar no romance, coisa que eu gostei, e focar nas partes de "ação" e mesmo eu gostando muito de partes mais dinâmicas, acabava me perdendo de tanta coisa que acontecia ao mesmo tempo. Não foi uma leitura ruim, porém também não foi uma das melhores. Na questão sobre os conjuradores, acredito que poderia ter sido melhor explorada, mas como é uma série, irei ler o próximo para saber se minhas dúvidas serão respondidas e se a leitura será melhor.


Então, é isso! Beijos e até a próximo.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo