Curta e fique por dentro!

Resenha #7: Willow.



Título original: Willow
Autor (a): Júlia Hoban
Editora: Leya
ISBN: 9788544100813
Nota: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️

Sinopse: E então, justo quando eu pensei que não tinha mais controle sobre o que estava para acontecer, eu percebi duas coisas. A primeira era que essa dor emocional estava indo embora, estava saindo, não iria me consumir; e a segunda foi que eu estava me apunhalando, realmente me atacando com a chave de fenda, e aquela dor física que eu estava causando foi melhor que qualquer droga que o hospital tinha. Estava fazendo todo o resto ir embora. A dor, a dor física, estava fluindo pelas minhas veias como heroína, e eu estava entorpecida, imune a todo o resto, eu não pude sentir nada além de dor, e eu sabia que eu tinha achado um jeito de me salvar.

Willow perdeu os pais num acidente de carro em que ela estava dirigindo. E se culpa por isso, é tão difícil para ela viver com o luto, a tristeza e o distanciamento de seu irmão, que o desejo dela é não sentir nada.

"Não se pode dizer que alguma coisa tão dolorida faça com que se sinta bem, exatamente. É como se fizesse tudo parecer certo. E algo que parece tão certo não pode ser ruim. Tem que ser bom."


E quando ela volta para a casa dos pais, coisa que Willow não fez antes porque estava internada no hospital, por conta de seus ferimentos. Ela compreende que é real, e que eles não voltaram. É neste momento sensível que ela descobre como não sentir nada — exceto dor física, que para ela é muito melhor do que a emocional.

E eis que surge o Guy na história. Ele é o típico garoto-amigo. Inteligente, simpático, bonito, atleta e com certas particularidades que vão mexer com as emoções de Willow.

"Não estou tentando te dizer o que sentir ou deixar de sentir. Eu acho que eu só gostaria de poder fazer você se sentir melhor, e talvez olhar para as coisas de um modo diferente."

Porém, ela está tão disposta a não sentir nada que evita se relacionar com ele, por medo de que a amizade vire algo mais.
"Mas eu gosto de falar com você. Porque eu posso te perguntar qualquer coisa, te contar qualquer coisa e não importa o que eu disser para você, sei que estará tudo bem."




Beijos e até o próximo post.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo